× Fale Conosco

Solicite um orçamento sem compromisso!

Enviar via
Ou ligue para (41) 3677-1383
Se preferir, ligue para nós! Ligar agora!
Clique aqui para falar conosco!
×
× Envie-nos um E-mail




TERCEIRA IDADE E A IMPORTÂNCIA DA ATIVIDADE FÍSICA

por Thais Giabani Terceira Idade e a Importância da Atividade Física


Envelhecer é um processo inevitável e involuntário, e provoca uma perda estrutural e funcional de forma progressiva no organismo.
É notável o contínuo crescimento da população da terceira idade em nosso país e em todo o mundo. Segundo estatísticas, o Brasil nas próximas décadas será um país com maior velocidade de envelhecimento populacional.

“O Brasil é um país cujo perfil demográfico encontra-se cada vez mais envelhecido, apresentando cada vez mais um aumento na quantidade de idosos.”
São inúmeros os estudos que tentam encontrar uma definição para os conceitos do envelhecimento humano, porém é uma tarefa difícil, levando em consideração que este processo acompanha o indivíduo desde o nascimento.

A Organização Mundial de Saúde (OMS), leva em consideração o local onde este indivíduo reside para a classificação se este é ou não da terceira idade.
Para a população de países que se encontram em desenvolvimento são considerados idosos aqueles que possuam 60 anos ou mais, e para países desenvolvidos considera-se idoso aquele que possua 65 anos ou mais.

Esta relação parte de um fator biológico diretamente ligado a diminuição da capacidade física.

O envelhecimento leva o indivíduo a apresentar perda de massa e força muscular, diminuição da produção hormonal e lentidão no tempo de reação. Desta forma, realizar suas tarefas de vida diária, levar uma vida de forma independente e autônoma, torna-se uma tarefa um tanto quanto difícil, mas é preciso tentar manter a aptidão física.
A prática de atividades físicas parece ser uma estratégia para manter a capacidade funcional da população da terceira idade, assim como a sua autonomia, e consequentemente leva a uma melhora na qualidade de vida.

“Nos últimos anos as pesquisas tem demonstrado que os exercícios e as atividades físicas são fatores importantes para uma melhor condição de vida das pessoas idosas.”

Envelhecimento Saudável
Segundo a autora Gardner 2006, define-se envelhecimento saudável através de uma serie de critérios, como satisfação de vida e disposição de espírito, além de medidas objetivas, como morbidade e mortalidade.

A definição mais proeminente o descreve como sendo a “habilidade de manter três características chaves: baixo risco de doença e deficiências relacionadas à doença, alta atividade mental e física, e envolvimento ativo na vida cotidiana”.

Sabe-se que o sedentarismo na terceira idade é um grande fator de risco para as doenças crônicas degenerativas.

A relação entre atividade física, qualidade de vida e envelhecimento é cada vez mais discutida e analisada na atualidade, e é praticamente um consenso entre os profissionais da área da saúde que um estilo de vida ativo é fator determinante para um envelhecimento com qualidade.

Efeitos dos Exercícios na Terceira Idade
Controle ou Diminuição da Gordura Corporal
Manutenção ou Incremento da Massa Muscular
Força Muscular e da Densidade Óssea
Fortalecimento do Tecido Conetivo
Melhora da Flexibilidade
Aumento do Volume de Sangue Circulante
Resistência Física em 10-30%
Aumento da Ventilação Pulmonar
Diminuição da Frequência Cardíaca em Repouso
No Trabalho Submáxima e da Pressão Arterial
Melhora nos Níveis de HDL (Lipoproteínas de Alta Densidade)
Diminuição dos Níveis de Triglicérides, Colesterol Total e LDL (Lipoproteínas de Baixa Densidade)
Diminuição dos Níveis de Glicose
Diminuição de Marcadores Anti-Inflamatórios associados às Doenças Crônicas Não Transmissíveis
Diminuição do Risco de Doença Cardiovascular, Acidente Vascular Cerebral Tromboembólico, Hipertensão, Diabetes Tipo II, Osteoporose, Obesidade, Câncer de Cólon e Câncer de Útero
Melhora do Auto-Conceito
Auto-Estima
Imagem Corporal
Melhora Estado de Humor
Tensão Muscular e Insônia
Prevenção ou Retardo do Declínio das Funções Cognitivas
Diminuição do Risco de Depressão
Diminuição do Estresse
Diminuição da Ansiedade e Depressão
Diminuição do Consumo de Medicamentos
Incremento na Socialização
Redução de Risco de Quedas e Lesão pela Queda
Aumento da Força Muscular dos Membros Inferiores e Coluna Vertebral
Melhora do Tempo de Reação
Sinergia Motora das Reações Posturais
Melhora na Velocidade de Andar