X
Fale Conosco
Whatsapp
E-mail
Clique aqui
Clique aqui

Hidratação é importante em todas as fases da vida

Ao longo da vida, passamos por vários ciclos (como infância, adolescência, gravidez e lactação) em que mudanças fisiológicas específicas caracterizam cada fase.


No envelhecimento não é diferente.
Mudanças fisiológicas do envelhecimento incluem alterações sensoriais, neuroendócrinas, mecânicas e musculares, mudança na composição corporal e no sistema digestório.
Tais alterações podem impactar diretamente a nutrição adequada do indivíduo. E exigem atenção dos profissionais de saúde que o acompanham.

O idoso necessita adaptar seu hábito alimentar e seu estilo de vida a tais alterações. Nesta fase, qualquer carência nutricional pode ter rápido efeito na funcionalidade e qualidade de vida do indivíduo.
Um dos cuidados nutricionais mais importantes com a pessoa idosa é a sua manutenção hídrica. Dentre as alterações sensoriais no envelhecimento está a hipodipsia. A hipodipsia é a diminuição do número e da sensibilidade de receptores corporais responsáveis pelo controle da sede. Em poucas palavras, o idoso sente menos sede. Mesmo que seu corpo esteja precisando de água. Por isso, essa faixa etária é mais propensa a desidratações.
No Brasil, a desidratação é um dos dez diagnósticos mais frequentes na hospitalização de idosos. Ficar desidratado leva a prejuízo das funções normais do corpo pela falta de água no organismo. Dentre os sintomas da desidratação, o idoso pode experimentar:

  • tonturas,
  • diminuição da produção de urina,
  • olhos fundos,
  • pressão arterial baixa,
  • desenvolvimento de infecção do trato urinário.
  • Sinais de desidratação severa podem frequentemente levar a:
  • cãibras musculares graves,
  • confusão mental,
  • perda de consciência e até convulsões.

Neste caso, encaminhe o idoso rapidamente para um serviço médico. Essa questão é tão importante nesta faixa etária que a Pirâmide Alimentar voltada para o idoso tem sua base composta por água.